terça-feira, 31 de maio de 2011

Terça na Galeria II

Telas coloridas pelo público durante o último Sarau, no Baguta Bistrô.





Terça na Galeria


Na Galeria de hoje, cartum do #blogprogrs, feito por Eugênio Neves para o 1° encontro de blogueir@s e tuiteir@s do RS.

Acesse: http//blogprogrs.com.br

sexta-feira, 27 de maio de 2011

reflexos

Vou juntando os cacos
de tudo o que era caos
E refaço em imagem plana
Acabo colando toda a semana
nas asas de um vendaval
Componho, com essas mãos que eu ponho
peças de roupa e do espetáculo, no varal
Nos olhos de quem me vê
se refletem e me repetem
A poesia, o dia a dia e a luz
A arte que você produz
é na verdade o que mais me seduz
Vou juntando as letras
do que havia desse tudo
O que temos, e o que temos vontade
O tempo sempre ficou à margem
dos contratempos do mundo
E toda a manhã nos traz a chance
de um novo suspiro profundo.

Marcelo Poeta

quinta-feira, 26 de maio de 2011

A Cultura mutável, a ética e os currículos escolares

O relativismo cultural é uma ideologia político-social que defende a validade e a riqueza de qualquer sistema cultural e nega toda a forma de valorização moral e ética dos mesmos.
O relativismo cultural percebe que o bem e o mal são relativos à cada cultura. O “bem” coincide com o que é “socialmente aprovado” em uma dada cultura. Os princípios morais descrevem convenções sociais e devem ser baseados nas normas da nossa sociedade.
Até bem pouco tempo, algumas teorias sobre currículos se limitavam em apresentar a organização dos conteúdos a serem ensinados. A preocupação de alguns estudiosos era a de selecionar conteúdos que garantissem a formação ora para atender ao mercado de trabalho, ora de intervenção social. Esse entendimento sobre o currículo e sua organização indicava que a idéia de conhecimento deveria ser estático, pois os conteúdos em geral estavam localizados de forma hierárquica e a partir da horizontalidade, limitando as possibilidades da flexibilidade, interferindo de forma problemática na formação profissional dos alunos, na medida que fragmentava e desarticulava cada vez mais o conhecimento.
De modo que aqueles que acreditam que a elaboração de currículos depende essencialmente da seleção de conteúdos, não perceberam que “o mundo mudou, e mudou o nosso entendimento sobre nós e sobre o próprio mundo”.
Quando pensamos no currículo nesta nova perspectiva de mundo, devemos lembrar que os valores construídos nos últimos trezentos anos, como por exemplo, a separação entre a cultura erudita e a cultura popular, como a valorização da separação entre o branco e o preto, como a distinção entre os considerados civilizados e os tidos como selvagens, entre tantos outros esquemas, não respondem às expectativas de sociedade, os velhos esquemas baseados na oposição opressores e oprimidos são insuficientes para dar conta de uma realidade que é multifacetada e deveras complexa.
Portanto, na medida em que as culturas vão sofrendo mutações, é de importante valia preservar e propagar o caráter ético tão necessário para a formação da sociedade, porém não esquecendo de, continuadamente, alterar as propostas pedagógicas de acordo com a realidade vigente.

Marcelo Poeta

Nosso acervo


O que se perde quando os olhos piscam
Composição: Fernando Anitelli e twiteiros

Pronde vai?
Toda tampa de caneta?
todo recibo de estacionamento?
todo documento original?
Isqueiro, caderneta,
a camiseta com aquele sinal...
Pronde vai... toda palheta?
Pronde foi... todo nosso carnaval?
Pronde vai?
Todo abridor de lata?
Toda carteira de habilitação?
Recado não dado, centavo, cadeado?
Todo guarda-chuva!
Pra fuga pro temporal!
Pronde vai... o achado, o perdido?
eu não sei, veja bem...
não me leve a mal...
Pronde vai?
todo outro pé de meia,
carteira, brinco e aparelho dental?
pronde vai... toda diadema?
recibo, receita e o nosso enredo inicial?
Pronde vai?
toalha de acampamento,
presilha, grampo, batom de cacau
elástico de cabelo
lápis, óculos, clips, lente de contato?
a nossa má memória!
a denúncia no jornal?
pronde vai... aliança, chaveiro, chave, chinelo?
e o controle pra trocar canal
Pronde vai?
O solo que não foi escrito?
Labareda nesse labirinto,
o instinto, o reflexo, sem seguro
O coro do Socorro! O lançamento oficial!
Pronde vai... a culpa da cópia?
Pronde foi... a versão original!?
Pronde vai?
a bala que se disparô?
o indício do vício que disseminou
a busca do corpo por algo vital?
a firmação do pulso! O discurso radical!
o troco em moeda... a lição da queda
Pronde foi... nosso humor e moral?
Pronde vai? todo nosso desalento
morre brisa nasce vendaval
pronde vai a reza vencida pelo sono
ela vale? Me fale... me de um sinal!

São longuinho
Me fale me de um sinal!


Pra onde foi?
O canhoto, benjamim de tomada
simpleza, prudência, clareza... consideração!
Autenticidade, compaixão, certeza... O perdão
a urgência, carrega a dor de bateria,
o extrato, a ponta, a conta nova, a cola e a extensão,
o estímulo,o exemplo, ,a voz dissonante...
A coragem do meu coração!

São Longuinho, São Longuinho
Me fale me dê um sinal!
São Longuinho, São Longuinho
Pra onde foi?
A coragem do meu coração!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Ponto de exclamação





A volta ao passado através de fotos, rascunho e rabiscos. A narrativa na voz das idades e no fitar o nada como quem absorve novamente experiências e novamente sente o que já fora sentido.
O hoje vai nos empurrando para o amanhã como um trem que não tem possibilidades de volta, de descanso, onde as paisagens e pessoas passam rápido na janela. No trem, não há retrovisor. Só o que há é a perspectiva da chegada.
Recordações me corroem o peito, me induzem ao roer de unhas e transbordam em águas meus olhos pretos. Que atire a primeira pedra aquele que não possui uma caixa contendo fragmentos de seu passado. Ninguém guarda nada de triste. O choro que se faz presente é sempre o pranto do tempo. A surpresa de perceber que tudo foi diferente do que tínhamos planejado, calculada e minuciosamente. Erroneamente.
Não somos heróis. Não temos força para lutar contra as situações da vida, contra fatos externos, contra a climatologia e a formatação social. Não dominamos nem o nosso sim e o nosso não. Somos tão submissos à vida, que não questionamos nem o “por que” das coisas.
Mas somos felizes, pois através dos alfarrábios e dessas lágrimas de alegria, sentimos que assim sempre fomos.


Marcelo Poeta

Terça na Galeria






Óleo Sobre Tela Do Artista-plástico Mauro Alves.
Descrição: Caipira picando fumo.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Monday News



Bom dia meus queridos





Sexta tivemos mais um Sarau no Baguta Bistrô. A surpresa da noite ficou por conta da pintura, em quadros, realizada por quem estava presente. Oo quadrinhos foram adquiridos na Bauer, ainda em estado bruto e, com a ajuda da querida tia Teca, lixei-os e pintei-os de branco. Haviam, em todas as mesas, tintas e pinceis para nascerem os desenhos.
Rolou também o sorteio de uma tela do Mai Bavoso e que a levou foi Aloisio Adib.
Bom, como todos que me acompanham sabem, começamos esse movimento artístico lá em 2007 e, com algumas pausas, chegamos no agora. São quatro anos de luta, de buscas por apoio, de colaboração de queridos amigos e de apreciadores da arte. Sem recursos de patrocínio, sem apoio do poder público. Mais de cinqüenta artistas osorienses cadastrados ao longo deste período e nenhum órgão interessado em contribuir ou ao menos prestigiar.

Eu, Osoriense que sou e me orgulho disso, fico muito triste que, numa cidade berço de tantos artistas, não haja vontade política e social para a prática da arte.
Agradeço, com todo meu respeito e carinho, à todos os que até aqui estiveram conosco.




A luta segue.








Um abraço, Marcelo Poeta.





sexta-feira, 20 de maio de 2011

História de Sarau

O primeiro Sarau


O primeiro Sarau que realizamos ocorreu em meados de 2007, no Bar do Guego. Eu, Delalves Costa, Marcelo Ribeiro e o professor Clauveci fomos os anfitriões da noite. A temática: Sarau Erótico.
Confesso que passei a semana estudando sobre poesia erótica, sobre poetas e afins. Não é meu estilo (sabe-se lá se tenho algum...) mas tentei.
E ao chegar minha vez ao microfone, dissertei sobre essa dificuldade em me adaptar ao tema e, de maneira ingênua, salientei que meus versos eram doces e singelos. Pronto!! Fui adjetivado de Poeta Doce. Foi o primeiro caso de BULLING no Sarau.


Marcelo Poeta

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Nosso acervo




Drop's de hortelã

Eu andava meio estranho
Sem saber o que fazia, eu não sei
Andava assim eu não sei
Se era feliz
Eu achava que faria uma canção
E a melodia, eu não sei
Andava assim,eu não sei
Se era feliz
Eu achava que faria tudo que não sei
Que amaria, eu não sei, fazer desenhos com giz
Eu achava que faria uma canção nissei (não sei)
Eu me sentia, eu não sei, um americano em Paris
Eu achava que tamanho tinha a ver com poesia, eu não sei
Mas toda vida eu deixei a vida entrar no nariz
Me mandei pra Curitiba E como eu gosto dessa vida! Ah! Eu sei
Que a paixão que eu falei Me lembra o anis
Fiz um drops de hortelã da bala que eu te dei
Para atirar o porém, da frase que eu nunca fiz.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Depoimento da professora Amanda Gurgel

Ponto de exclamação


Um sarau é um evento cultural ou musical, realizado geralmente em casa particular, onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente. Um sarau pode envolver dança, poesia, leitura de livros, música acústica e também outras formas de arte como desenho, pintura e teatro. Evento bastante comum no século XIX que vem sendo redescoberto por seu caráter de inovação, descontração e satisfação. Consiste em uma reunião festiva que apresenta concertos musicais, serestas, cantos e apresentações solo, demonstrações, interpretações ou performances artísticas e literárias. Vem ganhando vulto pois se faz desamarra do dia a dia escondendo sensações do agora, do ontem e do amanhã, em comparações travestidas em telas, sons e poesia.

Marcelo Poeta

terça-feira, 17 de maio de 2011

Janisdiz:




Sexta, 20 de maio, tem Sarau Musical no Baguta Bistrô.


Poetas, músicos, desenhistas, pintores e artesãos expondo seus trabalhos. Participe.


Inicio: 21:30h
















Kisses

Terça na Galeria




Hoje no Terça na Galeria apresentamos o trabalho da fotografa e artesã Andrea Hilgert. Andrea possui atelier em Capão da Canoa.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Monday News

Bom dia leitorinhos

Comemorando o Dia Internacional dos Museus, que ocorre em 18 de maio, a Secretaria Municipal de Cultura, no município de Osório, realiza a 9ª Semana Nacional de Museus, que ocorrerá de 16 a 22 de maio e trará uma programação especial para os museus Antropológico Leonel Mantovani e da Estação Férrea. Entre as atrações vão ocorrer circuito de palestras, exposições, oficinas, contações de lendas do município, visitas monitoradas e apresentações artísticas.
A abertura oficial do evento será realizada na segunda-feira, dia 16, no Largo dos Estudantes Sônia Chemale, às 19h, centro de Osório. As atividades que ocorrerão em Osório estão incluídas na programação nacional. Mais informações na Secretaria Municipal de Cultura pelo telefone (51) 3601 2179.


Nos próximos dias 27 e 28, sexta-feira e sábado, durante o 31º Rodeio Crioulo Internacional de Osório, vai ocorrer a 21ª Tafona da Canção Nativa no Parque de Rodeios Jorge Dariva em Osório. A seleção das 12 músicas do festival encerrou na tarde desta terça-feira, dia 10, no CTG Estância da Serra, onde os cinco jurados (Geraldo Trindade Pereira Nunes, Giani Schmidt da Silva “Giani Payador”, João Máximo Galarce de Oliveira “João Cruzeira”, Reginaldo Gil Braga e Carlos Omar Villela Gomes) estavam reunidos desde segunda-feira, dia 9, para escolherem as melhores entre 567 canções inscritas, vindas de vários estados e cidades da América Latina. Das 12 músicas, três são do município de Osório.


As 12 músicas selecionadas:


Canções selecionadas:


LINHA LITORÂNEA

01 – A MEMÓRIA DAS MÃOS
Telmo Vasconcelos/ Santo Ângelo
Eduardo Monteiro/Santa Maria
02 - DEMOROU, JÁ CHEGOU
Cristian Sperandir - Osório / Ivan Therra - Cidreira
Cristian e Adriano Sperandir - Osório
03 – GALHO SECO
Olgi Zauza Crejci - Santo Ângelo
Piero Ereno e Jean Kirchoff - Jaguari
04 – MARIA TERESA
Loreno Santos e Patrícia Camargo - Osório
Loreno Santos - Osório
05 – JUREMA E JUREMAR
Caio Martinez – Porto Alegre
Adriano e Cristian Sperandir - Osório
06 – TERRA DOS VENTOS
Mário Tressoldi e Chico Saga - Tramandaí


LINHA RIOGRANDENSE

01 – AMOSTRA GRÁTIS
Rodrigo Bauer/Amigo Souza – São Borja
02 – GAIVOTAS
Olgi Zauza Crejci – Santo Ângelo
Piero Ereno - Jaguari
03 – EU CANTO APENAS O BARRO
Lisandro Amaral/Guilherme Collares - Bagé
04 – HÁ MUERTO FLORENCIO AYMAR
Martim Cesar/Paulo Timm - Jaguarão
05 – LEITURA
Eduardo Munõz – Pelotas
Carlos Madruga – Porto Alegre
06 – COM OS PÉS NO CHÃO
Mauro Marques - Dado Jaeguer – São Leopoldo

Lembrando que na sexta-feira, 20 de maio, estaremos com o Sarau no Baguta Bistrô, em Osório.
Música, poesia, desenho, desenho, pintura e artesanato darão o tom da festa.
O evento começa às 21:30.
Quem aprecia a arte não pode perder.


Boa semana, um abraço.

Marcelo Poeta

sexta-feira, 13 de maio de 2011

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Janisdiz:


Só questões nesse Ponto de Exclamação Poetinha?
Não seria melhor mudar para Ponto de Interrogação?

Ponto de exclamação


Da janela pequena
Eu avistava um pássaro azul
Voava sem norte ou sul
Apenas
contemplava-me no bater de asas
ele perdia seu tempo comigo
perdido em minha fantasia
de que seus pequenos olhos
eu refletia
E me levava a um delírio profundo
De que, como seria mágico se eu pudesse voar
E o pássaro com o céu ao fundo
Sabia que a maior magia do mundo
Era poder me abraçar e dizer
- vou cuidar de você!
E é nessas horas em que me vejo tristonho
A vida me liga
e me pergunta:
- Então, o que faço com teus sonhos?

Marcelo Poeta

terça-feira, 10 de maio de 2011

Terça na Galeria




























Hoje, no Terça na Galeria, mostramos o trabalho de Mai Bavoso. Na primeira imagem trabalho em pintura, à esquerda Arte aplicada e à direita trabalhos em Gravura.


Contato de Mai Bavoso:
Telefone:
55 51 - 9198-5031

E-mail:
maibavoso@uol.com.b


Site: www.maibavoso.com.br

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Monday News

Bom dia Leitorinhos



Sexta-feira retornamos ao Art Café, em Capão da Canoa após quase um mês que, para a Trupe do Sarau pareceu um ano. É sempre bom estar entre as boas e qualificadas presenças de Capão assim como as belas telas de Mai Bavoso.
A cada Sarau em Capão cresce o número de artistas presentes com seus poemas, músicas, telas e desenhos. Abaixo vocês podem conferir as imagens de tudo o que rolou por lá.
Antes, na quinta-feira, fui até a Facos onde recebi o convite dos professores de Geografia para realizar uma aula Sarau em comemoração ao dia do Geógrafo. O evento ficou marcado para dia 26 de maio no Baguta Bistro, em Osório, às 19:30.
Nesta semana estaremos dividindo poemas e músicas com o Café com Letras, em Osório, quarta-feira às 20h.
Sexta, faremos novamente em Capão da Canoa, no Art Café. Retornaremos ao Baguta dia 20 de maio.
Semana começa cheia, com algumas visitas aos municípios do litoral norte e também na região metropolitana. Vem novidades por aí.
Sexta, aqui no blog, começo a contar essa história que começa lá em 2007. Sarau, da utopia para o real.

• Que seja assim a semana de todos nós, repleta de conquistas e crescimento intelectual e espiritual.

Um abraço, Marcelo Poeta

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Nosso Acervo



Quem te viu, quem te vê


Você era a mais bonita das cabrochas dessa ala
Você era a favorita onde eu era mestre-sala
Hoje a gente nem se fala mas a festa continua
Suas noites são de gala, nosso samba ainda é na rua

Hoje o samba saiu, lá lalaiá, procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais esquece não pode reconhecer

Quando o samba começava você era a mais brilhante
E se a gente se cansava você só seguia a diante
Hoje a gente anda distante do calor do seu gingado
Você só dá chá dançante onde eu não sou convidado

Todo ano eu lhe fazia uma cabrocha de alta classe
De dourado eu lhe vestia pra que o povo admirasse
Eu não sei bem com certeza porque foi que um belo dia
Quem brincava de princesa acostumou na fantasia

Hoje eu vou sambar na pista, você vai de galeria
Quero que você me assista na mais fina companhia
Se você sentir saudade por favor não dê na vista
Bate palma com vontade, faz de conta que é turista