sábado, 2 de outubro de 2010

Carinho que tenho


Carinho que tenho

Hoje raiou o dia primeiro
e com ele o primeiro dia
São os primeiros passos da primavera
e o terceiro passo que dou
em busca da Garota Magia
Não, não pude me fazer cavalheiro
Faltou-me o chão, sumiu-se a terra
dancei no céu quando me abraçou
Então era uma vez, uma vez que agora era
Tua voz foi tão diferente do teu texto
mas no contexto te fez perfeita
Como uma onda em câmera lenta
que abre paredes e lá na frente se deita
E o instante sepultou o distante
como a magia de estrela cadente
Pois quando um amor já não for tão amante
Dormirás abraçada, ao meu presente.

Marcelo Poeta

Um comentário:

Anônimo disse...

^^